Com aumento de casos na Venezuela, Brasil prepara vacinação contra a pólio

por UOL – 15/06/2018

Imagem: José Cruz/Agência Brasil

Em meio ao aumento de casos de poliomielite identificados na Venezuela, o Ministério da Saúde informou que a campanha de vacinação contra a doença no Brasil deve ocorrer de 6 a 24 de agosto.

Por meio de nota, o ministério informou que, atualmente, a cobertura vacinal no Brasil contra a poliomielite é de 77%. Diante de casos identificados na Venezuela, a pasta enviou nota de alerta para estados e municípios sobre a importância de alcançar e manter cobertura maior ou igual a 95%, além da necessidade de notificação e investigação imediata de todo caso de paralisia flácida aguda que apresente início súbito em indivíduos menores de 15 anos.

“O Ministério da Saúde ressalta que a vacinação é de extrema importância para manter o país livre da circulação de poliovírus, tanto nas ações de rotina como na Campanha Nacional de Vacinação contra a Poliomielite”, destacou o comunicado.

O governo brasileiro reforçou que as vacinas que integram o Calendário Nacional de Vacinação são seguras e eficazes. O esquema vacinal da poliomielite é composto por três doses da vacina inativada (injetável), administradas aos dois, quatro e seis meses. Aos 15 meses e aos 4 anos, a criança recebe a vacina oral.

O último caso de infecção pelo poliovírus selvagem no Brasil ocorreu em 1989. Dados da Organização Mundial da Saúde (OMS) apontam que três países ainda são considerados endêmicos para a doença – Paquistão, Nigéria e Afeganistão.


Veja Também

Desigualdade e Migrações: Um novo eixo de (re) articulações globais?

Sessão do curso Panoramas de Saúde Global II, com a Palestrante: Carolina Moulin (IRI PUCRio). Tema: “Desigualdade e Migrações: Um novo eixo de (re) articulações globais?” Debatedores: Eduardo Faerstein (IMS/UERJ) no dia 14 de dezembro de 2017.

Desigualdade e Migrações: Um novo eixo de (re) articulações globais?

Sessão do curso Panoramas de Saúde Global II, com a Palestrante: Carolina Moulin (IRI PUCRio). Tema: “Desigualdade e Migrações: Um novo eixo de (re) articulações globais?” Debatedores: Eduardo Faerstein (IMS/UERJ) no dia 14 de dezembro de 2017.

Saúde dos refugiados e outros migrantes forçados

Sessão ministrada pela Prof Dra Anete Trajmam(IMS|UERJ) no dia 11 de Maio de 2017

Gênero e Saúde Pública Global

Sessão ministrada pela Profª Drª Miriam Ventura (IESC|UFRJ) no dia 8 de junho de 2017.

Globalização e saúde global: Crise e debates

Sessão ministrada pelo Prof Dr Mario Dal Poz(IMS|UERJ) no dia 30 de março de 2017. Curso Panoramas de Saúde Global I.


Casos na Venezuela

Esta semana, a Sociedade Brasileira de Pediatria divulgou nota pública alertando para a necessidade de atenção redobrada diante da detecção de pelo menos um caso confirmado no país vizinho e de diversos casos em investigação. A preocupação se deve ao aumento do fluxo de imigrantes pelas fronteiras brasileiras, em especial nos estados do Norte.

A entidade defende ainda a manutenção de elevadas e homogêneas coberturas vacinais contra a poliomielite no Brasil – acima de 95% – até que a erradicação global seja alcançada.

Doença

A poliomielite, também conhecida como paralisia infantil, é uma doença infectocontagiosa viral aguda, caracterizada por um quadro de paralisia flácida de início súbito.

A transmissão ocorre de pessoa para pessoa, pela via fecal-oral (mais frequente); por objetos, alimentos e água contaminados com fezes de doentes ou portadores; ou pela via oral-oral, através de gotículas de secreções (ao falar, tossir ou espirrar).

Não existe tratamento específico – todas as vítimas de contágio devem ser hospitalizadas.

A vacinação é a única forma de prevenção da poliomielite. Todas as crianças menores de 5 anos de idade devem ser imunizadas conforme esquema de rotina e em campanha nacional.

FONTE